Tem uma coisa que me incomoda na blogosfera. Não sei se por preguiça ou desinformação, grande parte dos blogueiros disponibiliza recursos sem contexto, sem introduzir o leitor ao assunto do post. Acho legal um texto de entrada antes de empurrar o link/vídeo/apresentação goela abaixo. Será que é pedir muito?

Criança escrevendo Enem em um quadro negro

Há alguns dias atrás, o MEC liberou a matriz de referência para o Enem. Os eixos cognitivos se referem às habilidades que se espera do candidato para resolver a prova do Enem. Vale para todas as disciplinas.

Eixos Cognitivos (comuns a todas as áreas de conhecimento):

I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa.

II. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.

III. Enfrentar situações-problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações-problema.

IV. Construir argumentação (CA): relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente.

V. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Uma coisa que chama a atenção nestes eixos cognitivos, é o que o MEC tem argumentado desde que o novo Enem entrou em pauta: este tipo de prova valoriza a interpretação e relação entre os dados, ao invés da decoreba de conteúdos; o diálogo entre as disciplinas (interdisciplinaridade), ao invés de privilegiar o conhecimento fragmentado; a autonomia de pensamento do aluno, ao invés de seguir fórmulas pré-concebidas.

Agora, precisamos saber se esta fórmula vai funcionar. A receita, no entanto, é boa!