Como tenho buscado muitas informações sobre o novo Enem, para ajudar o desesperado persistente candidato a estar bem preparado, encontrei no youtube uma série de vídeos que ensinam a resolver questões objetivas aplicando algumas técnicas específicas baseadas em padrões na elaboração destes tipos de questões.

Cartão para marcação de respostas em questões objetivas em provas

Para que servem estas dicas? Estas dicas podem ser utilizadas para os alunos ou candidatos que vão prestar vestibulares e concursos e querem ter “cartas na manga” para sobressair diante da competitividade. Da mesma forma, os queridos alunos e alunas que visitam o blog diariamente buscando informações nos resumos de história. Estas dicas vão ajudar na resolução de testes e provas aplicados em sala de aula.

Para testar a aplicação destas dicas na prática, sugerimos que você tente resolver as questões do Enem da área de Ciências Humanas. Fique atento na tendência na elaboração das alternativas e fique fera no assunto.

As dicas

1- Fique atento a repetição de alternativas: Em provas mal elaboradas, é possível que o gabarito concentre suas alternativas corretas em uma letra. Por outro lado, provas bem elaboradas procuram dividir bem o rol de acertos entre as alternativas A, B, C, D e E.

2- Perceba o tamanho da alternativa: Uma pequena falsidade invalida um item. Para formular um item correto, os examinadores têm que colocar todo o conceito, pois muitas vezes uma pequena omissão acaba por ter a questão anulada por alunos mais atentos. Assim, os itens corretos geralmente são maiores que os errados.

3- Fique ligado na repetição de elementos na questão: A tendência é que, no rol de respostas, um elemento correto esteja repetido várias vezes. A intenção do examinador é não facilitar a vida do candidato. Geralmente, a alternativa correta é uma daquelas em que o elemento é repetido.

4- Identifique a intenção na elaboração da questão: alternativas que indicam possibilidade, como “em geral é”, “predominantemente é”, “em regra é” ou “pode ser”, tendem estar corretas. Por outro lado, alternativas que indicam ordem, como “nunca é”, “obrigatoriamente é”, “não pode ser”, tende a ser incorretas.

5- Perceba quando existe o politicamente correto ou incorreto: Quase todos os concursos tem como corretos itens politicamente corretos, que atendem aos princípios socialmente aceitos e ao bom senso. A recíproca é verdadeira, pois o examinador coloca nos itens incorretos aquilo que a sociedade não deve fazer, coisas que não pegam bem, politicamente incorretas. Parece meio bobo, mas é fato.

6- Cuidado com as pegadinhas: Algumas alternativas dizem uma verdade, mas que não pode ser associada ao texto, como é pedido. Outras vezes é uma mentira tida por uma verdade por muitos, mas que é desmentida pelo texto. O lugar preferido é a letra “A”, mas pode vir em outras alternativas.

7- Fique atento a aspectos que podem invalidar uma alternativa: Em alternativas assim, o item quase todo é correto, mas há a inserção de um pedaço que o invalida (geralmente ao final da frase).

8- Elimine as alternativas absurdas: Esta é a técnica mais importante, que deve ser usadas em todas as questões das provas de múltiplas escolhas. Quando é pedido para “selecionar a correta”, mude a frase para: “selecionar a mais correta, eliminando as absurdas”.