Na prova do Enem 2014, tente resolver esta questão sobre o tratamento das leis relacionadas ao conceito de cidadão que era vigente na Grécia Antiga. A resolução está logo abaixo da questão, com comentários e habilidades cobradas na prova, assim como o resumo que você deve ler para aprofundar neste tema.

Questão: Leis e Cidadania na Grécia antiga

Compreende-se assim o alcance de uma reivindicação que surge desde o nascimento da cidade na Grécia antiga: a redação das leis. Ao escrevê-las, não se faz mais que assegurar-lhes permanência e fixidez. As leis tornam-se bem comum, regra geral, suscetível de ser aplicada a todos da mesma maneira.
VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992 (adaptado).

Para o autor, a reivindicação atendida na Grécia antiga, ainda vigente no mundo contemporâneo, buscava garantir o seguinte princípio:

a) Isonomia — igualdade de tratamento aos cidadãos.
b) Transparência — acesso às informações governamentais.
c) Tripartição — separação entre os poderes políticos estatais.
d) Equiparação — igualdade de gênero na participação política.
e) Elegibilidade — permissão para candidatura aos cargos públicos.

Confira a resolução 😉

Resposta: A

Habilidade: Analisar o papel da justiça como instituição na organização das sociedades.

Resolução: Apesar da ideia de isonomia garantir igualdade de tratamento entre os cidadãos na Grécia Antiga, cumpre ressaltar que o conceito de cidadão, por sua vez, era bastante restrito. Era considerado cidadão os gregos adultos, livres, homens, proprietários de terras e de escravos. Logo, a maioria da população não era considerada cidadã e não se beneficiava da isonomia jurídica.

Resumo: Grécia Antiga