Na prova do Enem 2009, tente resolver esta questão sobre a inquisição e seus reflexos na cultura brasileira durante o Brasil Colonial.  A resolução está logo abaixo da questão, com comentários e habilidades cobradas na prova.

Pessoas sendo queimadas em praça pública

Para ter mais informações sobre este exame nacional, dê uma olhada no post Tudo sobre o Novo Enem.

Questão

Questão 63:

No final do século XVI, na Bahia, Guiomar de Oliveira denunciou Antônia Nóbrega à Inquisição. Segundo o depoimento, esta lhe dava “uns pós não sabe de quê, e outros pós de osso de finado, os quais pós ela confessante deu a beber em vinho ao dito seu marido para ser seu amigo e serem bem-casados, e que todas estas coisas fez tendo-lhe dito a dita Antônia e ensinado que eram coisas diabólicas e que os diabos lha ensinaram”.
ARAÚJO, E. O teatro dos vícios. Transgressão e transigência na sociedade urbana colonial. Brasília: UnB/José Olympio, 1997.

Do ponto de vista da Inquisição,

a) o problema dos métodos citados no trecho residia na dissimulação, que acabava por enganar o enfeitiçado.
b) o diabo era um concorrente poderoso da autoridade da Igreja e somente a justiça do fogo poderia eliminá-lo.
c) os ingredientes em decomposição das poções mágicas eram condenados porque afetavam a saúde da população.
d) as feiticeiras representavam séria ameaça à sociedade, pois eram perceptíveis suas tendências feministas.
e) os cristãos deviam preservar a instituição do casamento recorrendo exclusivamente aos ensinamentos da Igreja.

Confira a resolução 😉

Resposta: E

Habilidade: Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura.

Comentários: Uma questão que aborda a Inquisição no Brasil Colonial. O candidato deve ficar atento ao fato que nosso país foi fundado em bases católicas e a Inquisição era um mecanismo de controle da Igreja. Desta forma, sendo “todos cristãos”, era proibido e punitivo qualquer forma de manifestação mágica e/ou religiosa fora dos sacramentos e mandamentos da Igreja.