Na prova do Enem 1999, tente resolver esta questão sobre o processo de industrialização no Brasil, que teve um grande impulso a partir do Segundo Reinado, com consequências na vida rural e na vida urbana.

Questão sobre a industrialização no Brasil

Para ter mais informações sobre este exame nacional, fique atualizado nas notícias sobre o Enem.

Questão

Questão 53

Viam-se de cima as casas acavaladas umas pelas outras, formando ruas, contornando praças. As chaminés principiavam a fumar; deslizavam as carrocinhas multicores dos padeiros; as vacas de leite caminhavam com o seu passo vagaroso, parando à porta dos fregueses, tilintando o chocalho; os quiosques vendiam café a homens de jaqueta e chapéu desabado; cruzavam-se na rua os libertinos retardios com os operários que se levantavam para a obrigação; ouvia-se o ruído estalado dos carros de água, o rodar monótono dos bondes.
(AZEVEDO, Aluísio de. Casa de Pensão. São Paulo: Martins, 1973)

O trecho, retirado de romance escrito em 1884, descreve o cotidiano de uma cidade, no seguinte contexto:

a) a convivência entre elementos de uma economia agrária e os de uma economia industrial indicam o início da industrialização no Brasil, no século XIX.
b) desde o século XVIII, a principal atividade da economia brasileira era industrial, como se observa no cotidiano descrito.
c) apesar de a industrialização ter-se iniciado no século XIX, ela continuou a ser uma atividade pouco desenvolvida no Brasil.
d) apesar da industrialização, muitos operários levantavam cedo, porque iam diariamente para o campo desenvolver atividades rurais.
e) a vida urbana, caracterizada pelo cotidiano apresentado no texto, ignora a industrialização existente na época.

Confira a resolução 😉

Resposta: Letra A

Habilidade: Reconhecer as transformações técnicas e tecnológicas que determinam as várias formas de uso e apropriação dos espaços rural e urbano.

Comentários: Apesar de ter se consolidado no governo de Getúlio Vargas, a partir de 1930, o século XVIII já ensaiava um processo de industrialização que se confundia com a riqueza do café e possibilitou o crescimento da urbanização.