Encontrei esta sugestão no blog Gibiteca, da amiga Natania. Legal por que vem ao encontro das aulas que estamos fazendo sobre revoltas no Período Regencial. O roteirista Iramir Araújo lança este mês Balaiada: A Guerra do Maranhão, inspirado na revolta popular ocorrida no séc. XIX. A arte é de Ronilson Freire e Beto Nicácio.

Quadrinhos sobre a Balaiada

O roteiro segue as características do movimento maranhense e o desenvolvimento pode ser acompanhado no blog da dupla de artistas.

 A Balaiada começou em 1838, na então Província do Maranhão. Na época, a região, tradicionalmente algodoeira, passava por uma crise econômica, devido à concorrência com o algodão produzido nos EUA. Os problemas econômicos eram mais sentidos pelas classes mais baixas da sociedade: vaqueiros, sertanejos e escravos.

Quando seu irmão foi detido, o vaqueiro Raimundo Gomes deu início à revolta, invadindo a cadeia com o apoio de um contingente da Guarda Nacional. Em seguida, juntaram-se a ele o fabricante de balaios Manuel Francisco dos Anjos Ferreira e Cosme Bento, ex-escravo líder de três mil escravos fugidos.

Para combater a revolta, o governo enviou tropas comandadas pelo coronel Luís Alves de Lima e Silva. O Maranhão voltou à paz em 1841, e Lima e Silva foi condecorado Barão de Caxias.