Do computador ao chocolate, é enorme a lista de produtos criados para fins militares e depois adaptados para o uso no dia-a-dia. Esta lista está limitada às inovações surgidas nos séculos 19 e 20 – e não ultrapassa o ambiente da casa, senão seria incluído aparelhos como o radar e a ultra-sonografia.

Os avanços das pesquisas no mundo militar afetam, claro, os setores diretamente relacionados com a briga em si, como a fabricação de munições ou armamentos. Mas essa evolução sempre respinga nas tecnologias civis.

Esta lista foi extraída e adaptada do Mundo Estranho.

1- Leite Condensado

Pote de leite condensado

O Leite Condensado foi criado por Gail Borden, nos Estados Unidos, durante a Guerra de Secessão (1861-1865). Procurando uma forma de prolongar o armazenamento do leite, reduzir seu volume e contornar a falta de refrigeração, o inventor patenteou um método para fabricar leite condensado, em 1856. A novidade ficou meio esquecida até o início da guerra, quando o exército dos estados do Norte (Ianques) incluiu o produto na ração das tropas, comprando grande quantidade do produto.

Curiosidade: Quando voltavam para casa de licença, os soldados contavam às famílias sobre o novo tipo de leite. O produto ficou tão popular que a fábrica de Borden mal conseguia atender às encomendas.

2- Margarina

Pote de margarina

A Margarina foi criada por Hippolyte Mège-Mouriès, na França, durante a Guerra Franco-Prussiana (1870-1871). Na década de 1860, o imperador francês Napoleão III, sobrinho de Napoleão Bonaparte, ofereceu um prêmio a quem descobrisse uma alternativa barata para a manteiga – na época, um produto caro e escasso. Até hoje os historiadores discutem se o imperador fez isso para facilitar a vida dos franceses pobres ou para abastecer suas forças armadas, às vésperas da Guerra Franco-Prussiana.

Curiosidade: Seja como for, o químico Mège-Mouriès apresentou a margarina, em 1869, levando o prêmio de Napoleão III.

3- Panela de Teflon

Panela de Teflon

A Panela de Teflon foi criada por Roy J. Plunkett, nos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra (1939-1945). Em 1938, o químico Roy Plunkett realizava experiências com gases para refrigeração. Por acaso, uma amostra virou uma substância pegajosa, em que quase nada grudava. Em 1945, a invenção recebeu o nome de teflon. Os primeiros usuários do novo produto foram os militares americanos, que aplicaram o teflon para revestir tubos e vedações na produção de material radioativo para a primeira bomba atômica.

Curiosidade: Depois do fim da Segunda Guerra, a empresa em que Plunkett trabalhava encontrou diversas aplicações para o teflon, como o revestimento não adesivo para panelas.

4- Forno Microondas

Forno Microondas

O Forno de microondas foi criado por Percy Spencer, nos Estados Unidos, durante a Guerra Fria (1945-1991). Quando a Segunda Guerra estava no fim, um funcionário da fornecedora militar Raytheon, o engenheiro Percy Spencer, notou que um chocolate em seu bolso derreteu quando ele inspecionava magnétrons, componentes usados em radares. Deduzindo que a meleca havia sido causada pelo calor gerado pelos magnétrons, Percy criou um aparelho para aquecer comida usando esse princípio. A Raytheon comprou a idéia e lançou o microondas.

Curiosidade: O primeiro microondas pesava 340 quilos e custava de 2 mil a 3 mil dólares!

5- Computador

Pessoas em frente a um computador antigo

O Computador foi criado por engenheiros da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, durante a Guerra fria (1945-1991). O primeiro computador, chamado de Eniac, foi projetado para o exército americano. O aparelho servia para ajudar nos cálculos de artilharia. Ficou pronto em 1946 e ajudou nos cálculos para construir a bomba de hidrogênio, testada pelos Estados Unidos em 1952.

Curiosidade: A máquina tinha mais de 2 metros de altura e ocupava uma área de 15 por 9 metros – algo como um armário gigante. Custou em torno de 400 mil dólares.