Recebi este comentário em uma das postagens do blog, achei interessante e resolvi compartilhar com vocês. O autor ou autora não se identifica, apenas escreveu:

Como estudar o mundo? Como aprender história de verdade? O ensino superficial da escola já não serve. Quero entender a origem do mundo, as civilizações, as religiões, toda essa cultura incrível que está aí para ser decifrada, para então, poder entender o que acontece atualmente. Compreender mapas e conflitos, conhecer culturas… Não uma aprendizagem para testes ou concursos. Estou realmente interessada, mas nem sei por onde começar. Antes pensava que assistir a documentários era o caminho. Talvez seja um bom começo, mas muitas vezes extensos, nem sempre bons informantes e me deparo sem saber o que fazer ou assistir. Por onde começar?! Como ir fundo? Tanta informação, tanta informação…

Quem não sente esta angústia, sejam professores ou alunos? A informação e o conhecimento escolar geralmente estão a serviço dos vestibulares porque dão dinheiro. Cada ideia rentável gera uma “corrida do ouro” para ver quem vai se dar bem. Assim é, não apenas com a escola, mas com séries, programas, com todo o tipo de criação cultural. A verdade é que algumas escolas ainda são fortalezas que buscam preservar o pouco de senso civilizatório que ainda resta no ocidente.

Acredito que a tela “Angústia”, de Edward Munch, representa bem esta sensação.

Tela Angústia, de Edward Munch

Voltando ao comentário, se o autor(a) estiver certo(a), fica a pergunta: e quando o vestibular deixar de existir, o que vai ficar? qual o papel que restará para a escola?